Golpes com coronavírus viralizam na web e atingem 11 mi de acessos.

Foto | Divulgação 


Diário de Caxias com informações do Portal Meio Norte - Mais de 250 aplicativos falsos e 125 páginas maliciosas foram descobertas na Internet com o objetivo de aplicar golpes com assuntos envolvendo a pandemia da Covid-19. O levantamento foi feito pelo dfndr lab, laboratório especializado em segurança digital da PSafe, que monitora crimes cibernéticos sobre o novo coronavírus desde fevereiro. A pesquisa da empresa indica que, após o Governo Federal anunciar o cadastro do Auxílio Emergencial na primeira semana de abril, os golpes se tornaram ainda mais comuns e atingiram até 11 milhões de acessos e de compartilhamentos.

Com a pandemia do novo coronavírus, ofertas como pagamento de bolsas auxílio, distribuição de kits de máscaras e álcool em gel, de cerveja grátis e até mesmo de assinatura na Netflix tem sido recorrentes, circulando principalmente como correntes no WhatsApp. Confira a seguir alguns dos golpes frequentes e saiba como se prevenir.


Foto | Divulgação 


Programa Auxílio Cidadão 2020

O falso “Programa Auxílio Cidadão 2020” foi compartilhado com rapidez pelo WhatsApp a partir do dia 19 de março. Uma mensagem acompanhada de um link serve de isca para as pessoas caírem no golpe, que se apropria de medidas governamentais em andamento. Nesse caso, ela se passava pelo “Auxílio Cidadão 2020”, suposto programa que garantiria o auxílio mensal de R$ 200 para trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda.

Governo Federal iniciou o cadastramento do Auxílio Cidadão que dá uma ajuda mensal no valor de R$ 200 para trabalhadores autônomos e pessoas de baixa renda para ajudar a combater CORONAVÍRUS. Confira se você tem direito ao benefício.

A Secretaria Especial do Desenvolvimento Social desmentiu a corrente no dia 22 do mesmo mês.

Álcool em gel Ambev

A partir de uma ação real da Ambev, que produziu álcool em gel e o distribuiu em grande quantidade para o combate à pandemia, um novo golpe prometendo os produtos originais foi disseminado pelo WhatsApp. A partir do link malicioso, a vítima deveria responder um questionário com perguntas como “Você realmente precisa disto?”, para fornecer dados pessoais e compartilhar o golpe com outros contatos.

A AMBEV no combate ao COVID-19 está distribuindo gratuitamento álcool em gel em todas as cidades do páis. Eles disponibilizaram um site para verificar os pontos de distriuição, mas são poucas unidades por pessoa.

Voucher Heineken

Até o dia 16 de abril, o golpe do “Voucher Heineken” tinha atingido até 159 mil pessoas. Com a pegada da campanha #FiqueemCasa aliada à quantidade de lives feitas nas plataformas digitais, o golpe prometia a retirada gratuita de até quatro unidades de barril Heineken com chopp grátis. O conteúdo falso pode ser uma estratégia de roubo de dados por meio de phishing.

HEINEKEN - FIQUE em CASA com 4 Barris de Cerveja Grátis. Atendendo a pedidos, vamos distribuir cerveja. Olha issooo!

A empresa foi procurada pelo TechTudo e esclareceu que "A Heineken® afirma que é falsa a promoção que está circulando via WhatsApp nos últimos dias. A recomendação da marca é não abrir o link em questão".

Netflix liberada

A Netflix não garantiu a liberação da plataforma durante a pandemia da Covid-19. No dia 19 de março, entretanto, cibercriminosos disseminaram a notícia falsa de que havia um cadastramento para que isso fosse possível, com poucas vagas, seguida de um link. Outra estratégia fraudulenta de phishing.

A Netflix decidiu liberar o acesso a sua plataforma de filmes e séries pelo período de isolamento das pessoas, mas é por pouco tempo o cadastramento! Corre no site.

Como se proteger

Para não cair nesses golpes é necessário tomar algumas medidas de precaução, como desconfiar de mensagens sensacionalistas e não fornecer seus dados por telefone, e-mails ou SMS. No caso da Heineken ou da Netflix, deve-se acessar os sites oficiais e verificar se há algum conteúdo sobre a promoção que você recebeu.

No fim de março, o Ministério da Saúde lançou em parceria com o WhatsApp um bot para o aplicativo, que fornece orientações sobre o novo coronavírus. Após enviar um “oi” para o número (61) 9938-0031, o usuário tem acesso a um menu com dez opções de temas sobre a pandemia. Dentre elas, está o nono item, “Fake ou verdade?”, focado em tirar as dúvidas sobre a veracidade dos conteúdos recebidos pelo cidadão. Também é possível conversar com a instituição a partir do endereço direto da campanha: "bit.ly/sauderesponde" (sem aspas).

Ademais, mantenha o seu celular, seja ele Android ou iPhone (iOS), protegido com um software antivírus instalado.

Postar um comentário

0 Comentários