Pistoleiro confessa que foi contratado por político para incriminar PMs de Caxias.

Kedson Lima e Paulo Bala (foto: divulgação)

Por Jornalista Marco Silva - Blog do Marco Silva

Apontado como um dos maiores pistoleiros da região dos Cocais, Santo da Conceição Silva (Paulo Bala) prestou declarações afirmando que a delação feita pelo pistoleiro Zaqueu na delegacia de São Luís, com o objetivo de incriminar policiais militares de Caxias e mantê-los presos, foi tudo uma armação. O depoimento foi feito a um tabelião de um cartório de São Luís no último dia 04 de julho.

Santo da Conceição declarou que todas as informações que ele também prestou perante a autoridade policial, juntamente ao Promotor de Justiça de São Luís, quando foi preso, era tudo combinado com o pistoleiro Zaqueu a mando de Kedson de Araújo Lima (PCdoB), político do município de Aldeias Altas que disputou as últimas eleições e ficou em segundo lugar após obter 4340 votos.

O pistoleiro afirmou que a delação tinha por objetivo atingir os militares Enedino Silva, Raimundo Nonato Lima Chaves, Sérgio Adriano Gomes Nunes, Evandro Oliveira Santos e Walmara Mourão Carvalho. Tudo indica que o objetivo era ligar as falsas acusações de grupo de extermínio ao grupo político adversário de Kedson Lima.

Santo da Conceição também afirma que o político teria prometido que ele e Zaqueu não seriam presos e se acontecesse ficaria no máximo 30 dias na cadeia. O pistoleiro declarou ainda que se mantivessem o depoimento incriminando os cinco policiais militares seriam recompensados financeiramente após serem soltos. No entanto, ele relata que não recebeu nenhum benefício judiciário ou financeiro mesmo fazendo o que havia combinado.

O pistoleiro cita vários crimes ocorridos em Aldeias Altas e Caxias e nega qualquer participação dos policiais. Ele afirma que os militares não estão envolvidos em grupo de extermínio e que não houve reunião na tentativa de criar grupo ilícito envolvendo os PMs.

O Ministério Público até requereu a prisão preventiva do pistoleiro Zaqueu, só que o juiz da Vara de Combate ao Crime Organizado, Doutor Ronaldo Maciel, responsável pelo processo, indeferiu o pedido, mantendo somente Santo da Conceição e os cinco policiais presos.

Os cinco PMs e outras duas pessoas foram presas no dia 30 de abril em operação realizada pela Polícia Civil nos municípios de Caxias e Aldeias Altas. Três policiais foram soltos e estão respondendo em liberdade. Santo da Conceição foi preso quatro dias depois também em Aldeias Altas.

Veja o documento com a declaração do pistoleiro:





Postar um comentário

0 Comentários