Moradores vivem uma triste realidade pela falta de atenção e atuação do poder público no Bairro Ponte em Caxias.

Entulho acumulado há meses no local.

Ao longo de sua caminhada pelos Bairros de Caxias, mostrando e cobrando das autoridades melhorias, fazendo reivindicações e apontando soluções, o Sgt César tem observado um ponto em comum entre todos os demais bairros da cidade, a falta de atuação ou ausência do poder público.

O tempo passa, promessas são feitas e soluções que é bom, nada. Alguns problemas podem ser resolvidos de forma imediata e eficaz, garantindo o bem estar-social da população, mas parece que a Prefeitura Municipal não tem interesse em resolver, ou apenas ignora a realidade.

A realidade do Bairro Ponte não é diferente dos outros bairros de Caxias, prédios públicos abandonados, logradouros públicos encobertos por lixo e mato, falta de sinalização em ruas e avenida e buracos nas ruas, que vez ou outra alguém se acidenta.

Escola ainda com pintura da Gestão do Ex-prefeito Humberto Coutinho (in memoriam)

A escola da rede pública municipal é o retrato do abandono no bairro, recentemente a Prefeitura Municipal mandou pintar alguns prédios públicos da cidade com as cores da administração atual, nem com isso sequer, o bairro foi beneficiado.


Em frente da escola, existe uma praça cheio de mato e entulhos, se é que podemos chamar de praça. 




A poucos metros da Escola e da Praça, existe um local que poderia ser aproveitado para práticas de esportes e lazer pelos moradores caso o município fizesse uma intervenção no loca.




A menos de 1000 metros dos locais visitados pelo Sgt César, encontra-se uma uma Creche de Ensino Infantil, uma faixa de pedestres apagada parcialmente, é um risco iminente de situações de acidentes.


Faixa de Pedestres parcialmente apagada em frente a Creche de Ensino Infantil

Tamanho estado de abandono, os moradores, mais uma vez, questionam o poder público onde o dinheiro pago em impostos é usado, uma vez que as melhorias raramente chegam até a área, essa é a cidade que a gente quer?

Postar um comentário

0 Comentários