(FAUNA VIVA) - Bicho-preguiça é avistado na área de mata do CESC-UEMA.


Um Bicho-preguiça foi avistado na tarde deste sábado (1°), na área de mata nos fundos do Campus do CESC-UEMA. O animal estava com seu filhote no topo de uma árvore de embaúba que fica nos fundos da Universidade. Ao perceber que estava sendo observado, o animal que carregava seu filhote nas costas desapareceu em meio a mata fechada.

Há relatos de inúmeras espécies de animais que vivem nesta região de mata do Morro do Alecrim, inclusive é comum avistar Cutias e outros animais.



SOBRE O BICHO-PREGUIÇA

O bicho-preguiça, cujo nome científico é Bradypus variegatus, tem como estratégia de sobrevivência os movimentos lentos e silenciosos e a pelagem que se confunde com as árvores, desviando a atenção dos predadores naturais.

Natural da Mata Atlântica e da Amazônia, o bicho-preguiça pode ser encontrado também em outros países da América do Sul e da América Central. Embora ainda não seja considerado um animal em extinção, já está desaparecendo de diversas regiões onde era comum - como no Nordeste brasileiro.

Entre as espécies ameaçadas estão o bicho-preguiça comum e o de coleira, encontrados no Sul da Bahia. O desmatamento é a principal causa do desaparecimento dessas duas espécies, que passam quase todo o tempo de seus 50 anos de vida (em média) em cima das árvores, onde se alimentam de 22 espécies diferentes de vegetação da Mata Atlântica e dormem cerca de 14 horas diárias. Vítimas também das queimadas, as preguiças costumam fugir para áreas próximas às cidades, tornando-se uma presa fácil para caçadores ilegais.

Animais de hábitos solitários, os machos e as fêmeas só se encontram para acasalar. A gestação dura de seis a oito meses, nascendo apenas um filhote, entre os meses de agosto e setembro. Quando adulto, um bicho preguiça pode pesar até cinco quilos e medir 59 centímetros da ponta do nariz a ponta da cauda. O filhote mama durante um mês, permanecendo com a mãe até os cinco meses, para aprender a se locomover e se alimentar sozinho. Atualmente, o homem é seu principal predador, já que os predadores naturais, aves de rapina e grandes felinos estão em extinção.

Postar um comentário

0 Comentários